domingo, 25 de agosto de 2013

Agosto... Ah, gosto!

Agosto

Sopra, vento, sopra, vento,
ai, vento do mês de agosto,
passa por sobre meu rosto
e sobre o meu pensamento.
Vai levando meu desgosto!

Lança destes altos montes
às frias covas do oceano
meu sonho sem horizontes,
claro, puro e sobre-humano.

Sem saudade mais nenhuma
te ofereço meus segredos,
para serem flor de espuma
que a praia mova em seus dedos,
quando se vestir de bruma...

Mova entre a lua inconstante
e a inconstantíssima areia,
que todo o mundo assim creia
meu sonho morto e distante,

morto, distante, acabado,
ó vento do céu profundo!
que tudo é bom, no passado,
que nos fez sofrer, no mundo,
ao ter de ser suportado...

Meireles, Cecilia. Vaga Música; São Paulo: Global, 2013, p. 29

domingo, 4 de agosto de 2013

Encontrado por aí...

Uma hora, reencontro sempre o fio de Ariadne...

Estava a procura de algo para um artigo, e por algum motivo, o Google me deu esse link. Gostei do texto, e resolvi publicar.

Encontre alguém que seja improvisado. Não precisa vir com rótulos e prazos, mas que venha com muito espaço e muita matéria.
 Encontre a pessoa que vai te dizer o quão belos são seus olhos, mesmo que tenha acabado de acordar. E vai elogiar o modo como você prende os cabelos e a sua expressão quase hermética ao ler Clarice Lispector.

Que passe horas te olhando e tente, com frases comuns e gestos pueris, te explicar a singularidade do sentimento que as suas palavras e companhia denotam.

Encontre alguém que lhe mostre coisas novas em você mesma, que te ajude a se conhecer melhor. Que aplauda suas qualidades e afague os seus defeitos. Que lhe dê chão, parede e teto; e compartilhe o céu com você. Que você possa presentear com O menino maluquinho de Ziraldo.

 Ache a pessoa que admire os seus versos e ache incrível a sua memória lhe permitir gravar todas as frases da Amélie Poulain. Que não estranhe as suas citações de  Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres, porque mesmo que não saiba como, ele compreenderá, assim como Ulisses. 

Encontre esse alguém para assistir comédias românticas com você e saiba todos os significados que a vontade de comer chocolate tem. Que te ensine a jogar xadrez e te escreva uma carta.

Alguém que compreenda o seu choro mensal e a sensibilidade que te faz, muitas vezes, querer as coisas mais simples do mundo, como a presença silenciosa ou um abraço quente. Que perceba quando não é sim, e sim é não.
Que seja um homem para perceber a mulher que você é. E um menino, para não se deixar embrutecer com  as trivialidades acessíveis do tempo.
Encontre a pessoa que você possa amar da mesma maneira como se ama um dia ensolarado e um bichinho de estimação.  Que te ame com leveza, respeito e sabor de fruta.

Que não sinta medo de ser bom para você, que não se acovarde pelo seu jeito escritora e ouse adentrar suas páginas sem receios e ponderações. Que te enxergue completa e ainda assim queira fazer parte de você. 

Que se divida e venha inteira. Que te dê mais do que você deseja. Que te inspire a dar mais de si mesma, sem que você ao menos perceba.
Encontre quem não minta para você.  Que seja taciturno, mas que saiba se despir dos adornos convencionais quando forem só os dois.
Que seja o mais simples possível. Porque ser simples é andar descalço e não necessariamente de havaianas.

Então encontre alguém já feito,refeito ou ainda por fazer. Mas encontre quem te fará. 

Tirei daqui