Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2013

Agosto... Ah, gosto!

Agosto

Sopra, vento, sopra, vento,
ai, vento do mês de agosto,
passa por sobre meu rosto
e sobre o meu pensamento.
Vai levando meu desgosto!

Lança destes altos montes
às frias covas do oceano
meu sonho sem horizontes,
claro, puro e sobre-humano.

Sem saudade mais nenhuma
te ofereço meus segredos,
para serem flor de espuma
que a praia mova em seus dedos,
quando se vestir de bruma...

Mova entre a lua inconstante
e a inconstantíssima areia,
que todo o mundo assim creia
meu sonho morto e distante,

morto, distante, acabado,
ó vento do céu profundo!
que tudo é bom, no passado,
que nos fez sofrer, no mundo,
ao ter de ser suportado...

Meireles, Cecilia. Vaga Música; São Paulo: Global, 2013, p. 29

Encontrado por aí...

Imagem
Uma hora, reencontro sempre o fio de Ariadne...

Estava a procura de algo para um artigo, e por algum motivo, o Google me deu esse link. Gostei do texto, e resolvi publicar.

Encontre alguém que seja improvisado. Não precisa vir com rótulos e prazos, mas que venha com muito espaço e muita matéria.
 Encontre a pessoa que vai te dizer o quão belos são seus olhos, mesmo que tenha acabado de acordar. E vai elogiar o modo como você prende os cabelos e a sua expressão quase hermética ao ler Clarice Lispector.
Que passe horas te olhando e tente, com frases comuns e gestos pueris, te explicar a singularidade do sentimento que as suas palavras e companhia denotam.
Encontre alguém que lhe mostre coisas novas em você mesma, que te ajude a se conhecer melhor. Que aplauda suas qualidades e afague os seus defeitos. Que lhe dê chão, parede e teto; e compartilhe o céu com você. Que você possa presentear com O menino maluquinho de Ziraldo.
 Ache a pessoa que admire os seus versos e ache incrível …