sábado, 11 de outubro de 2008

O Vaso Defeituoso

Muitas vezes, assim como hoje, me sinto além de ansiosa, um zero à esquerda.

Um incapacitação me toma de cima para baixo que é até difícil pensar em algo que não seja: "como pude deixar de fazer tal coisa" ou "como pude fazer tal coisa".

falando via mns com um amigo, que aliviou um pouco meu espírito e deu a sugestão mais cedo dada por meu pai, de reconhecer meu lugar no Universo, como filha de Deus, e portanto, saber de Seu amor infinito, e a partir daí, reconstruir o conceito de mim mesma - muito abalado na última semana.

Porque, na hora da tormenta, é tão difícil orar e concentrar esforços em não afogar-se nas auto-comiserações? Eu reconheço minha fraqueza de espírito.

reconheço , tenho que reconhecer e aceitar que não sou perfeita.
Infelizmente, sou um pouco mimada.

E lendo por aí, achei este texto, que muito me inspirou a fazer esta postagem...(clica no link e veja de onde foi, por favor.)

O vaso rachado...

"Uma velha senhora possuía dois grandes vasos, cada um suspenso na extremidade de uma vara, que ela carregava nas costas.
Um dos vasos era rachado, e o outro era perfeito.
Este último, estava sempre cheio de água ao fim da longa caminhada da torrente até a casa, enquanto aquele rachado chegava meio vazio.
Por longo tempo a coisa foi em frente assim, com a senhora que chegava em casa com somente um vaso e meio de água.
Naturalmente, o vaso perfeito era muito orgulhoso do próprio resultado e o pobre vaso rachado tinha vergonha do seu defeito, de conseguir fazer só a metade daquilo que deveria fazer.
Depois de dois anos, refletindo sobre a própria amarga derrota de ser 'rachado', o vaso falou com a senhora durante o caminho:
- 'Tenho vergonha de mim mesmo, porque esta rachadura que eu tenho me faz perder metade da água durante o caminho até a sua casa...'
A velhinha sorriu:
- 'Você reparou que lindas flores foram semeadas do teu lado docaminho?
- Eu sempre soube do teu defeito, e portanto plantei sementes de flores na beira da estrada do teu lado...E todo dia, enquanto a gente voltava, tu as regavas.
Por dois anos, recolho belíssimas flores para enfeitar a mesa deste lar.
Se tu não fosses como és, eu não teria essas maravilhas enfeitando a minha casa.
Cada um de nós tem o próprio defeito, mas o defeito que cada um de nós tem, é que faz com que nossa convivência seja interessante e gratificante.
É preciso aceitar cada um pelo que é...
E descobrir o que nele há de bom.
Portanto, meu 'defeituoso' amigo, tenha um bom dia e continue regando as flores do seu lado do caminho."


Depois de ler, e ouvir e falar com Ele, só posso dizer oq ue já disse aqui no meu perfil: "Perdoe o incomodo. Estou em processo de formação."

Espero que meus defeitos sejam produtivos (ô mulherzinha perfeccionista e chata...)

Um comentário:

Rodrigo disse...

Lindo texto esse que você achou Erica, me identifiquei com o vasinho rachado rsrssrsrs.

E nada de ficar pra baixo, você tem um sorriso lindo demais pra ser desperdiçado ^^

Beijões!!!